Situações-problema e conceitos básicos na redação

Há muitas e diferentes maneiras de se montar um texto. Existem os que pensam em começar a escrever a partir da famosa "inspiração". Ficam horas esperando cair algo mágico no pensamento, para que aquilo se torne um bom argumento, o que vamos considerar logo de antemão que isso poderia até funcionar, mas não para algo lógico e convincente como se espera de uma dissertação argumentativa. Talvez fosse uma boa estratégia para as narrativas, por exemplo.

Exercício com frase do Marquês de Maricá

Esta é uma sequência de exercícios bastante eficaz para quem está estudando para as provas de Ensino Médio e também para o Vestibular. São atividades com gabarito como as publicadas no site Mais Educativo. Lá, no entanto, a lista é bem maior e traz sequências com maior dificuldade. Veja as que publiquei abaixo e confira as respostas comentadas depois.

Texto
“Uma nação já não é bárbara quando tem historiadores.”
(Marquês de Maricá, in Máximas)

1) O texto é:
a) uma apologia à barbárie
b) um tributo ao desenvolvimento das nações
c) uma valorização dos historiadores
d) uma reprovação da selvageria
e) um canto de louvor à liberdade

2) Só não constitui paráfrase do texto:
a) Um país já não é bárbaro, desde que nele existem historiadores.
b) Quando tem historiadores, uma nação já é civilizada.
c) Uma nação deixa de ser bárbara quando há nela historiadores.
d) Quando possui historiadores, uma nação não mais pode ser considerada bárbara.
e) Desde que tenha historiadores, uma nação já não é mais bárbara.

Atividades de interpretação com gabarito



Respostas

1) O gabarito é a letra c. A opção a é absurda por si mesma. A letra b não cabe, pois o texto não fala de homenagem à nação. Não pode ser a letra d, porque nada no texto reprova a barbárie (o leitor precisa ater-se ao texto). A última opção é totalmente sem propósito. Na realidade, o autor valoriza os historiadores, uma vez que é a sua presença que garante estar a nação livre da barbárie.

2) Letra e. O que responde à questão é o valor dos conectivos. A palavra quando introduz uma oração temporal. O mesmo ocorre com o desde que da letra a. (observe que o verbo se encontra no modo indicativo: existem.) Na letra e, a conjunção desde que (o verbo da oração está no subjuntivo: tenha) inicia oração com valor de condição, havendo, pois, alteração de sentido.

Exercícios de concordância com gabarito

Todo mundo tem dúvidas de concordância. Quando falo sobre isso em sala de aula e conto que existe plural da palavra “bastante” quando ela acompanha um substantivo, os alunos torcem a boca e dizem que frases coo “comi bastantes bananas” está totalmente errada. Mostro que este não é o único caso de estranhamento. Neste artigo trago alguns exercícios de concorânciapara quem está estudando para o vestibular. Embora não sejam de múltipla escolha, é uma boa chance de estudar mais sobre o assunto e, depois, poder ainda conferir o gabarito.

 

exercicios-de-concordancia

 

Exercícios sobre concordância nominal

 

1. Preencha as lacunas das frases seguintes com a forma apropriada do termo entre parênteses:

Havia __________ revistas e livros sobre a mesa. ( muito)
É ______________ a altura e o peso do lutador. (excessivo)
Terminaram_____________ o time principal e o time de juniores.(vitorioso)
Terminou __________ o time principal. ( vitorioso)
Eles __________ comunicaram o roubo. (mesmo)
Elas __________ iriam fiscalizar o jogo. (mesmo)
Favor enviar ___________ os documentos.( anexo)
Eu __________ farei isso.- disse o rapaz. ( próprio)
Apesar de tudo, nós ________ teremos de procura-lo. (mesmo)
A goiabada estava ________ estragada. ( meio)
Você estava __________ confusa. ( meio)
Faz uma hora e __________ que ele está aqui. (meio)
A situação do país é __________ preocupante. ( bastante )
___________ famílias tiveram de vender suas terras.(bastante)
Já passava de __________ noite e ________ . ( meio, meio)
As pessoas estavam _________ desinformadas. (meio)
Você foi o que __________ falhas apresentou. ( menos)
Ele mora em uma casa com janelas e portões __________ ( branco)
É ____________ o talento e a habilidade de músico. ( famoso )

2. Assinale a alternativa com a frase incorreta e faça a devida correção:

Muito obrigado – disse a menina afastando-se.
Pedro e Maria viajaram sós?
Só Pedro e Maria viajaram?
E Pedro, estava a sós?
A própria Josefina esteve aqui; sim ela mesma.

3. Assinale as frases incorretas e faça as devidas correções:

a Aqui está meu certificado de reservista. Agora estou quites com o serviço militar.
b. Eu e meu primo fomos convocados e ficamos lá na fronteira.
c. Sós, Pedro e Paulo abriram o cofre e furam com o dinheiro.
d. As duplicatas anexas já foram enviadas pelo correio.
e. Anexos, seguem os preços estabelecidos para o corrente mês.
f.Os documentos anexo devem ser guardados no arquivo.

Gabarito

1. a. muitas
b. excessiva
c. vitoriosos
d. vitorioso
e. mesmos
f. mesmas
g. anexos
h. próprio
i. mesmos
j. meio
k. meio
l. meia
m. bastante
n. bastantes
o. meia - meia
p. meio
q. menos
r. brancos
s. famoso

2. a – obrigada

3. a - f - quite e anexos

O teatro no Brasil

Durante muito tempo a literatura do Brasil modelou-se pela cultura européia, sobretudo, pela de Portugal. Colônia que era, só lhe restava a utilização dos protótipos de além-mar. O Barroco e o Arcadismo brasileiros atestam bem a afirmação que se faz.
Por força disso, não floresceu aqui, durante a época aludida, nenhuma literatura desvinculada daquilo que era culturalmente consumido lá. E Portugal — exceção feita à obra-prima do romântico Garrett, Frei Luís de Sousa — não apresentou literatura cênica de valor após Gil Vicente.
No Brasil quinhentista, os jesuítas usaram o teatro como meio de propagação do catolicismo entre os indígenas. Era, contudo, um teatro sem intenções literárias: sua preocupação era transmitir uma mensagem de forma atraente para o silvícola; uma mensagem que fosse além da ineficácia árida dos sermões elaborados para mentes mais preparadas.
Aqui esteve José de Anchieta, mente fértil para as artes da escrita, designado por Manuel da Nóbrega para as tarefas de adaptar a mensagem católica à estrutura do que se encenava profanamente em Portugal.

 

drummond

Diz Sábato Magaldi, estudioso do teatro no Brasil, que “a missão catequética dos autos se cumpria assim facilmente..”
Do exposto é possível concluir que não houve um teatro marcante praticado no Brasil até o período romântico, à exceção de duas peças de Manuel Botelho de Oliveira (1637-1711), considerado o primeiro comediógrafo brasileiro.
Estas informações, dadas por Sábato Magaldi, incluem a de que Botelho não se inclui na dramaturgia brasileira. É possível, mesmo, que as tais peças, escritas em espanhol, nem tenham sido representadas.
O início do Romantismo brasileiro se marcaria pela publicação de Suspiros Poéticos e Saudades, de Gonçalves de Magalhães, em 1836.
Se, na Europa, o Romantismo é uma atitude de oposição a valores éticos, estéticos e filosóficos precedente, no Brasil, o movimento é de adaptação às correntes européias. Não havia aqui, necessariamente, a que se opor resistência. É nessa esteira que  aponta a dramaturgia nacional, de que Martins Pena, o criador da comédia brasileira, foi um dos maiores representantes.

Consolo na praia - Drummond

A infância está perdida.
A mocidade está perdida.
Mas a vida não se perdeu.
O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.
Perdeste o melhor amigo.
Não tentaste qualquer viagem.
Não possuis casa, navio, terra.
Mas tens um cão.
Algumas palavras duras,
em voz mansa, te golpearam.
Nunca, nunca cicatrizaram.
Mas, e o humor?

O que é coerência textual e como fazer

Uma das qualidades mais desejáveis num texto no vestibular é a coerência. Na produção de sua redação no Enem, Concurso ou Vestibular você precisa organizar bem suas ideias e é disso que trataremos neste artigo.

COERÊNCIA



Um pouco de teoria

No texto seguinte, uma redação escolar, há uma falha notável em sua narrativa. De que se trata essa falha?
Havia um menino muito magro que vendia amendoins numa esquina de uma das avenidas de São Paulo. Ele era tão fraquinho, que mal podia carregar a cesta em que estavam os pacotinhos de amendoim. Um dia, na esquina em que ficava, um motorista, que vinha em alta velocidade, perdeu a direção. O carro capotou e ficou de rodas para o ar. O menino não pensou duas vezes. Correu para o carro e tirou de lá o motorista, que era um homem corpulento. Carregou-o até a calçada, parou um carro e levou o homem para o hospital. Assim, salvou-lhe a vida.

Coerência deve ser entendida como unidade de texto. Um texto coerente é um conjunto harmônico, em que todas as partes se encaixam de maneira complementar de modo que não haja nada destoante, nada ilógico, nada desconexo. No texto coerente não há nenhuma parte que não se solidarize com as demais.
Podemos encontrar três níveis em que a coerência deve ser observada:

COERÊNCIA NARRATIVA

As quatro fases da narrativa (manipulação, competência, performance e sanção) se pressupõem, isto é, a posterior depende da anterior. Assim, por exemplo, um sujeito só pode fazer alguma coisa (performance) se souber ou puder fazê-la (competência).
Outros casos de incoerência narrativa não podem ocorrer. Por exemplo:
1 – quando uma personagem adquire um objeto de outro, é claro que este deixou de possuí-lo;
2 – as ações atribuídas a uma personagem devem ser compatíveis com suas características psicológicas.

COERÊNCIA FIGURATIVA

Consideremos duas definições:

Tema – palavras ou expressões que não correspondem a algo existente no mundo natural. Por exemplo: humanidade, idealizar, privação, feliz, necessidade etc.

Figura - palavras ou expressões  que correspondem a algo existente no mundo natural. Por exemplo: água, comer, beber, feno, límpidas etc.

Assim, a coerência figurativa consiste em atribuir a temas figuras compatíveis. Suponhamos que se deseje figurativizar o tema “despreocupação”. De que figuras se precisaria ? Naturalmente, “pessoas deitadas à beira de uma piscina”, “drinques gelados”, “passeios pelos shoppings” etc. Não seria estranha na figuratização desse tema a utilização de figuras como “pessoas indo apressadas para o trabalho”, “fábricas funcionando a pleno vapor” etc.?

COERÊNCIA ARGUMENTATIVA

Num esquema de argumentação, joga-se com certos pressupostos ou certos dados, e deles se fazem inferências ou se tiram conclusões que estejam verdadeiramente implicadas nos elementos lançados como base do raciocínio que se quer montar. Se os pressupostos ou dados de base não permitem tirar as conclusões que foram tiradas, comete-o se a incoerência de nível argumentativo.